Atrás dos óculos

Imagem extraída do aplicativo Wally

Não sei se lá fora está ensolarado, nublado ou chovendo.
Se está um calor intenso ou um frio desconcertante.

Não vejo se as ruas estão tranquilas ou enlouquecendo.

Estou presa em uma rotina onde não enxergo o que acontecerá adiante.




Atrás dos óculos a vida se desenrola se desdobra e anseia.

Mas depois das lentes o mundo paira como se o tempo estivesse preso em uma teia.

As plantas nos jardins hoje murcharam?

Cresceram?

Floresceram?

Não sei, não vi.



Não sei se o relógio parou ou apenas se cansou.

Se assuntos foram resolvidos e discussões acabaram.

Não vejo se a manhã acabou ou se a tarde encerrou.

O dia passa e termina se arrasta como relações já extintas.



Atrás dos óculos existem histórias e personagens que gritam para viver.

Mas depois das lentes a realidade é amena e nem parece valer a apena.

Até quando viver assim?

Meses?

Anos?

Não sei, não previ.



Cedo ou tarde este embate será incontrolável.

O que vive atrás dos óculos é forte, consistente e profundo.

O que está depois das lentes é perene e instável.

Ambos lutam para existir no mesmo mundo.



E assim talvez da caneta e do papel brotem sonhos, aventuras e amores.

Que ultrapassem as lentes dos óculos e tirem da vida esses dissabores.

Tal mudança será loucura?

Não sei, não previ.

Apenas senti!


 Idianara Lira Navarro

Nenhum comentário

Postar um comentário

© BLOG ENCANTO LITERÁRIO- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por