Resenha: Noturno - Trilogia da Escuridão

Acredito na existência de tudo até que se prove o contrário, eis um dos meus lemas de vida. A partir disto farei uma interessante confissão: durante minha adolescência (por volta de uns 13 anos) passei um longo período suspirando em conhecer pessoalmente um vampiro! Calma. Antes de morrerem de rir do absurdo da ideia, quero que saibam que quem contribuiu com tal delírio juvenil foi Bram Stoker com sua obra memorável: Drácula

Enquanto meus olhos de garota sonhadora percorriam aquelas páginas e se deparavam com um mundo sombrio e repleto de seres assustadoramente poderosos, belos, misteriosos, e em muitas ocasiões sedutores e elegantes, fui tomada por uma imensa vontade de um dia (quem sabe!) conhecer aquelas incríveis criaturas. Claro que conforme envelheci percebi o disparate de tal desejo, porém nunca deixei de admirar o tema vampiresco em filmes e livros. Assim, li desde O Vampiro Lestat e Entrevista com o Vampiro de Anne Rice, até a coleção completa dos livros de Stephenie Meyer.

Mas foi em 2009 em meio à febre desta última escritora com seus vampiros em sua maioria bondosos, “vegetarianos”, brilhantes sob a luz do sol e exageradamente românticos, que me deparei com um livro que tratava sobre os vampiros da forma que eu acho mais interessante e instigante para uma leitura sobre este tema. Em Noturno, uma ficção escrita pelo grande cineasta Guilherme Del Toro e Chuck Hogan, os vampiros são assassinos cruéis que se despem totalmente da carapaça física e sentimental humana após estarem totalmente transformados. A luta contra estes seres parece uma batalha perdida e o terror que se instaura pela cidade é tão forte que parece transcender o livro e atingir o leitor. 

Os autores apresentam aspectos em minha opinião inovadores, como o fato da transmissão ser causada por um vírus convergindo desta forma para um tratamento científico sobre o tema e a presença de alguns momentos históricos como a Segunda Guerra Mundial, são utilizados para elucidar e embasar os acontecimentos do livro e trazer o vampirismo para a contemporaneidade através de um boeing com mais de 200 passageiros que pousa no aeroporto de JFK em Nova York, sob condições misteriosas e aterradoras. 

Ao longo da narrativa acompanhamos de maneira extremamente realista e detalhada, várias personagens e seus momentos tenebrosos de angústia, sofrimento e pavor causados pela fatalidade que é a presença dos vampiros. A monotonia não está presente em nenhuma das 464 páginas do livro e a curiosidade me deixou tão ávida que em três dias e meio, eu havia concluído a leitura da obra. 

Existem muitos outros fatores que tornam este livro digno de atenção, todavia não apresentarei mais detalhes para não revelar aspectos que elucidam questões importantes apresentadas durante a leitura. Noturno é o primeiro volume da Trilogia da Escuridão, sua continuação se chama A Queda e o terceiro volume Noite Eterna

 Breve entrevista de Guilherme Del Toro sobre o livro
                                          

4 comentários

  1. Respostas
    1. Olá Rômulo!! Espero que goste!! Abraços, Idianara.

      Excluir
  2. Olá minha querida. Já adicionei esse livro a minha lista. Fiquei super interessado pelo enredo e a inovação. Obrigado pela dica, e parabéns pelo artigo! Aliás, estou escrevendo um artigo - ou será ensaio? -, sobre Literatura Contemporânea, enviar-te-ei para análise. Depois colocarei no blog. Beijos e saudades! Gonçalves.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sidney! Muito obrigada realmente acredito que você que é um super fã de autores como Stephen King, irá gostar muito do livro Noturno! Abraços!!!

      Excluir

© BLOG ENCANTO LITERÁRIO- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por